Mercado de trabalho

Quais as possibilidades de atuação de um profissional de biomedicina?

quais-as-possibilidades-de-atuacao-de-um-profissional-de-biomedicina.jpeg
Escrito por Ânima Educação

Se chegou a hora de escolher um curso superior e você anda pesquisando sobre a sua futura profissão, você com certeza já deve ter percebido que a Biomedicina está na lista de carreiras mais promissoras do momento. Caso você não saiba, esse é um campo dentro das Ciências Biológicas voltado para o estudo, análise e pesquisa de doenças e também para o desenvolvimento de medicamentos e vacinas que possam tratá-las.

Dito isso, muitos estudantes podem pensar que a única possibilidade de atuação de um biomédico é junto aos laboratórios de exames clínicos. Mas nada disso! Na prática, uma formação em Biomedicina permite que você trabalhe nas mais diversas atividades.

Quer saber quais são? Então veja a seguir 6 áreas de atuação e especializações possíveis para quem é profissional de Biomedicina e descubra se você tem vocação para alguma:

Acupuntura

Uma prática conhecida do ramo da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), a Acupuntura é um método de tratamento que consiste em estimular pontos do corpo humano por meio de agulhas, com o objetivo de prevenir e tratar doenças. E segundo o Conselho Federal de Biomedicina, a Acupuntura também é uma das opções de especialização para quem fez curso superior em Biomedicina!

Um profissional biomédico pode realizar procedimentos de Acupuntura por meio de atendimentos em consultório, oferecer tratamentos complementares aos diagnósticos clínicos ou mesmo exercer atividades ligadas com pesquisa e ensino da Acupuntura. Mas para isso, é preciso ter no currículo um curso de pós-graduação em Acupuntura (mestrado ou doutorado) reconhecido pelo MEC, ou fazer a prova de especialista em Acupuntura promovida pela Associação Brasileira de Biomedicina (ABBM).

A média salarial do biomédico acupunturista no Brasil fica em torno de R$2.000, mas o ganho mensal vai variar de acordo com o preço cobrado por sessão, local de trabalho e o método escolhido pelo profissional.

Citologia Oncótica

Nunca ouviu falar disso? Nós explicamos! Em poucas palavras, a Citologia Oncótica é a análise microscópica de células corporais feita para rastrear, verificar e diagnosticar lesões tumorais e doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). O exame mais comum na área de Citologia Oncótica é o preventivo do colo de útero, também conhecido como Papanicolau.

Com a devida especialização nesse ramo, o profissional biomédico estará preparado para realizar a coleta de material biológico em laboratórios clínicos, leitura das lâminas de material coletado, avaliação e diagnóstico citológico, firmar laudos médicos e, é claro, atuar na área acadêmica como professor ou pesquisador.

A maioria dos profissionais com esta formação tem boas perspectivas de trabalho nos laboratórios privados de análises clínicas, hospitais e postos de saúde. Para quem trabalha com Citologia Oncótica, o salário inicial fica na média de R$1.500.

Bancos de sangue

Caso opte por uma especialização em Hematologia, um profissional de Biomedicina terá capacitação para executar os mais diversos procedimentos técnicos em bancos de sangue.

Alguns exemplos de atividades de um biomédico nessa área são: processamento de sangue e suas sorologias, realização de exames pré e pós transfusão, chefias técnicas, direção de unidades e assessorias, produção de relatórios clínicos e manuseio equipamentos de autotransfusão.

Mas para obter habilitação para trabalhar em bancos de sangue, além de investir em uma pós-graduação em Hematologia, o profissional de Biomedicina também pode apostar em estágios supervisionados e residências multiprofissionais ainda na fase da graduação.

O salário mensal de um biomédico especializado em bancos de sangue varia de R$1.500 a R$4.000, a depender do tempo de carreira e da atividade exercida.

Reprodução humana

Nos últimos anos, como consequência das mudanças do estilo de vida urbano e do fato de que as mulheres brasileiras estão optando por engravidar cada vez mais tarde, houve uma popularização dos tratamentos para fertilidade e das técnicas de medicina reprodutiva. Por isso, outra oportunidade bastante em alta para quem tem formação em Biomedicina é trabalhar com reprodução humana e embriologia.

Com uma pós-graduação nesse ramo, o profissional de Biomedicina pode trabalhar com contagem e manipulação de gametas, realização de espermogramas (exames que verificam a qualidade do espermatozoide), bancos de sêmen, reprodução medicamente assistida (RMA) e fertilização in vitro (FIV), por exemplo.

O salário mensal de um biomédico com especialização em reprodução humana e embriologia pode variar de R$2.000 à R$4.000, a depender do nível de formação, tempo de experiência profissional e da instituição onde trabalha.

Imagenologia

Sabe aquela radiografia que geralmente é feita quando alguém fratura um osso? O fato é que esses famosos exames de “Raio-X” pertencem à área da Imagenologia, isto é, do diagnóstico médico por imagem.

E como profissional de Biomedicina com habilitação em Imagenologia, é possível trabalhar com ressonância magnética (RM), tomografia computadorizada (TC), radioterapia (RT), ultrassonografia (USG), medicina nuclear (MN) e radiologia médica. Algumas das atividades mais comuns são operação de equipamentos, estudo e desenvolvimento de novas técnicas, elaboração de protocolos de estudo e coordenação de grupos, entre outras coisas.

Além disso, para o biomédico com essa formação, outra opção é ingressar no campo da Informática Médica, ajudando a desenvolver produtos e implantar sistemas para armazenamento de imagens em clínicas e hospitais, por exemplo. 

Para o biomédico com habilitação em Imagenologia, o salário mensal fica na média de R$2.500.

Genética

Nos dias de hoje, a Genética apresenta um vasto campo de atuação para os profissionais de Biomedicina – em especial para quem atua com pesquisa ou docência –, pois foca principalmente no estudo e mapeamento do genoma humano. Quer assunto mais atual do que este?

Por isso, um biomédico com especialização em genética pode trabalhar com pesquisa científica em instituições de ensino, ou laboratórios privados, aplicar exames de Citogenética Humana e Genética Humana Molecular (DNA), firmar laudos, atuar como consultor ou aconselhador genético e ainda coordenar grupos de pesquisa

E como esta é uma área em plena expansão no Brasil, o salário de um biomédico geneticista em início de carreira pode variar entre R$ 6.000 e R$ 9.000. Com mais de cinco anos de experiência nesse setor, já é possível faturar mais de R$15.000 por mês. Bastante promissor, não acha?

E então, gostou do nosso conteúdo? Siga o Centro Universitário Una nas redes sociais e fique sempre por dentro das nossas atualizações!

Deixar um comentário