Vida universitária

A importância do hábito de leitura para universitários

A importância do hábito de leitura para universitários
Escrito por Ânima Educação

O Brasil não é, definitivamente, um país de leitores. Segundo dados do Censo de 2010, há cerca de 14 milhões de analfabetos e pouco mais de 35 milhões de analfabetos funcionais em nosso país — o que corresponde a 20,3% do total de nossa população.

Analfabetos funcionais são aquelas pessoas que, apesar de saberem ler e conhecerem números simples, são incapazes de compreender e interpretar textos curtos e/ou fazer cálculos aritméticos básicos.

Esse número é resultado de falhas no sistema de ensino brasileiro, ao longo de décadas, além de um incentivo à leitura quase inexistente, tanto por parte dos pais quanto por parte de professores, educadores e instituições de ensino.

Sendo assim, o número de pessoas que ingressa na universidade sem possuir o hábito de leitura é enorme, e isso acaba prejudicando — e muito! — o aprendizado e o desempenho dos alunos. Nosso artigo de hoje fala sobre a importância do hábito de leitura, principalmente para universitários. Confira:

Você sabe ler?

Uma resposta óbvia para essa pergunta seria “sim, é evidente que sei ler, visto que estou lendo esse artigo nesse exato momento”. Mas reflita atentamente sobre essa questão. Você realmente consegue absorver todos ou grande parte dos conteúdos que lê? Tem facilidade para compreender e interpretar textos, tirando suas próprias conclusões sobre eles?

Estamos vivendo uma época na qual o acesso à informação se disseminou amplamente, em todas as partes do mundo, com a popularização da internet. Porém, o que poderia ser extremamente benéfico para incentivar o hábito da leitura entre pessoas de todas as camadas sociais, às vezes acaba por ser prejudicial.

Com a enxurrada de informações que chegam às telas do computador a todo instante, de maneira vertiginosamente rápida, acabamos perdendo um pouco a capacidade de foco e atenção. Ler textos mais longos ou até mesmo parar para ler um romance, impresso em papel, tornaram-se tarefas extremamente maçantes e desinteressantes para os jovens.

Por que ler é importante para universitários?

Ingressamos em uma faculdade para aprender sobre temas de nossa escolha e nos tornarmos profissionais de uma determinada área, certo? E para que o aprendizado ocorra de maneira eficiente e não superficial, é necessário se aprofundar em determinados assuntos. E é isso que a leitura proporciona.

O hábito de ler permite uma expansão incrível de nosso conhecimento e é fundamental para o sucesso acadêmico. Na maioria das vezes, os alunos tendem a procrastinar leituras, a dividir a leitura de livros e textos entre componentes do grupo para realizar trabalhos e quase nunca vão além da bibliografia sugerida pelo professor da disciplina. Essas atitudes limitam demais o conhecimento e o tornam parcial.

Além disso, um dos principais propósitos de faculdades e universidades é a formação de cidadãos com pensamento crítico. Isso significa dizer que universitários, além de compreender e interpretar textos, têm que ser capazes de formar opiniões próprias sobre o assunto e pensar criticamente sobre ele.

Pessoas com pensamento crítico também possuem a capacidade de vinculação do conhecimento, ou seja, sabem onde buscar fontes confiáveis e de qualidade para seus estudos acadêmicos e não acreditam em qualquer informação que chega às suas mãos.

Citando um exemplo prático: a discussão de um texto em sala de aula, entre alunos que possuem um pensamento crítico desenvolvido, gera debates extremamente interessantes e proveitosos. Essas discussões contribuem para a expansão do aprendizado de todos — inclusive do próprio professor.

Outro motivo para você ler é a possibilidade de ampliar seu vocabulário e ter domínio sobre os recursos da língua na prática. A leitura te põe em contato com técnicas narrativas diferentes, que certamente vão enriquecer a forma como você escreve. Conhecer novas palavras vai fazer com que seu texto fique mais sofisticado, algo que você também vai perceber quando começar a usar os recursos linguísticos, como orações na ordem indireta e figuras de linguagem menos usuais do que a metáfora.

Seus relatórios, suas dissertações e, no final do curso, seu TCC serão mais fáceis de serem escritos, serão mais fluentes e compreensíveis. E um bom texto também abre portas na hora de procurar emprego — afinal, escrever corretamente é a base para qualquer profissional qualificado.

Se você pretende se destacar no meio acadêmico e se tornar um profissional de sucesso, com uma carreira promissora, é extremamente importante que você desenvolva o hábito da leitura, se já não o possuir.

Como se tornar um leitor?

A leitura é um hábito, e, como qualquer hábito, necessita de empenho e dedicação, principalmente no início. Com o passar do tempo, ler acaba deixando de ser um esforço e acaba se tornando um imenso prazer. E acredite: valerá muito a pena, e as chances de você se arrepender são praticamente inexistentes.

Você pode começar com um livro curto, sobre um assunto que seja do seu interesse. Não é necessário ser um texto acadêmico ou científico. Pesquise na internet, nas páginas de grandes livrarias, blogs ou fóruns de discussão literários. Leia sinopses e críticas do título que você se interessou e veja se realmente o conteúdo te agrada. Existem milhões de livros disponíveis, por isso, é praticamente impossível que você não se interesse por algum.

Determine horários e dias para ler. Assim como todos os nossos hábitos diários, como comer, tomar banho ou escovar os dentes, a leitura deve ter um espaço reservado só para ela em sua agenda, principalmente no início. Com o tempo, é muito provável que você pegue gosto por ler, se torne um devorador de livros e tenha que achar mais tempo para essa atividade em sua vida.

Se você estiver bem motivado em tornar a leitura uma peça-chave na construção de sua rotina acadêmica, experimente escrever sua opinião sobre livros, artigos e textos que você ler. Esses escritos não precisam ser lidos por ninguém além de você mesmo, se assim você desejar. Esse tipo de atividade estimula o desenvolvimento de sua capacidade de interpretação e da formação de pensamento crítico e podem fazer você se sobressair dentro da comunidade acadêmica.

Ao conseguir incorporar o hábito da leitura em sua vida, ler textos e livros acadêmicos não será mais tão difícil. Muito pelo contrário: você estará muito mais apto a compreendê-los e, por isso, com mais vontade de absorver seu conteúdo.

Acredite: pessoas bem-sucedidas em suas carreiras e profissões, não importando a qual área pertencem, estão em um constante aprendizado. E uma parte importantíssima do aprendizado vem com a leitura e com a discussão de bibliografias de autores renomados na área estudada.

Por isso, a importância do hábito de leitura para universitários é tão grande. Ler amplia seus conhecimentos, trabalha sua capacidade de foco e concentração e, no caso de leituras acadêmicas, mantém você atualizado em sua área e te deixa mais preparado para o mercado de trabalho

Se você ainda não possui o hábito de ler, mas acha importante se destacar no meio acadêmico e ampliar sua visão de mundo, considere incorporá-lo em sua vida!

Como criar o hábito de leitura? 

Antes de tudo, é preciso estabelecer um hábito de leitura para que o ato de pegar um livro e se envolver com sua história não seja um sacrifício, mas um prazer, mesmo quando a leitura for por obrigação. Por isso, listamos algumas dicas para você aplicar na sua vida acadêmica:

Identifique o gênero de livro que você prefere

Romance? Não ficção? Ficção científica? Mistério? Identificar qual o gênero que você mais gosta é o primeiro passo para estabelecer o hábito de leitura. Ler algo que o desagrada nesse início só vai dificultar o envolvimento com os livros. Comece então por onde você se sente mais confortável. Pesquise os autores mais famosos e recomendados no gênero preferido e mergulhe nos livros.

Varie os gêneros e experimente novos autores

Passada a fase da identificação, você deve ampliar seus horizontes. Comece a pensar em novos gêneros e em diferentes autores. Para fincar de vez a estaca da leitura no seu cotidiano, você precisa sair da zona de conforto e propor um desafio a você. Descobrir novos autores deve se transformar em um estímulo constante.

Adote o hábito de visitar bibliotecas e livrarias

Saber ler e gostar de livros passa por um hábito que todos que amam a leitura fazem: visitar bibliotecas e livrarias. Necessariamente, você não precisa ir a esses lugares para retirar ou comprar um livro. Vá para alimentar o conhecimento, ter contato com novos e diferentes livros. Retire um da estante, sente em uma poltrona e leia algumas páginas. Esse contato fugaz pode despertar novos interesses e te apresentar muita coisa boa.

Prepare um lugar para ler

Em casa, você deve ter um espaço apropriado para a sua leitura: confortável, com boa luz e que fique isolado da rotina da casa. Além disso, livre-se das distrações. Coloque o celular no silencioso para não ser importunado por mensagens enquanto lê e nada de das aquela espiada nas redes sociais durante a leitura. Dessa forma, você criará um ambiente propício para a concentração.

Escolha  a música certa

Nem todo mundo gosta de ouvir música enquanto lê, mas, se você for adepto de um sonzinho rolando ao fundo, prefira trilhas suaves, instrumentais, que não façam você cantarolar ou lembrar das letras, que certamente vão tirar sua atenção. Os aplicativos de música têm playlists prontas para a leitura. Invista neles!

Converse sobre livros

Ler também é trocar ideias sobre tramas, novos autores e gêneros. Converse com seus amigos e professores sobre o que você leu ou está lendo. Esse intercâmbio ajuda a esclarecer ideias, a expandir seu olhar sobre determinado autor ou livro. Além disso, essa troca enriquece a própria prática da leitura.

Crie contas nas redes sociais de livros

Uma boa opção para a conversa sobre livros é participar de redes sociais segmentadas. Canais como o Skoob (em português) ou Goodreads (em inglês) permitem que você crie sua biblioteca própria e converse com amigos que curtem as mesmas leituras. Por lá, você pode pegar opiniões de novos autores e descobrir livros.

Crie um blog ou um vlog

Um bom estímulo para quem está começando a formar uma base de leitura é falar sobre sua experiência. Lançar um blog ou um vlog no YouTube pode ser um caminho para que seu hábito seja compartilhado. Além disso, esses canais são uma boa forma de criar novos vínculos. Hoje, os booktubers, os criadores desse tipo de conteúdo no YouTube, já formam um bom contingente. Muitos deles mantêm parcerias com editoras, que enviam livros para esses canais.

Aproveite o tempo livre

Você pode ler no metrô, no ônibus, num banco na faculdade, na lanchonete enquanto espera pela próxima aula. O negócio é aproveitar o tempo para ir cativando esse hábito em você. Carregue sempre o livro com você, na sua mochila ou na bolsa, para que ele esteja à disposição a qualquer momento. Para não levar muito peso, opte pelas edições de bolso.

Experimente usar a tecnologia

Outro caminho para que você não carregue muito peso é experimentar os leitores eletrônicos, como o Kindle, o Kobo ou o Lev. Os e-books são mais baratos, e você pode carregar uma biblioteca inteira em um aparelho bem levinho.

Consulte sites com livros de domínio público

Conhecer os grandes clássicos da literatura mundial e nacional pode ser mais fácil e barato do que você imagina. Na internet, você tem à disposição sites que oferecem livros que já estão em domínio público. Você pode baixar sem custo algum e ler no seu computador, tablet, celular e em alguns leitores eletrônicos. Entre os sites, estão Portal Domínio Público e Project Gutenberg.

Troque de livros como parte do hábito

Esta é uma decisão difícil. Você está com um livro que não gosta. Virar a página é difícil e você passa muito mais tempo do que o normal para avançar. O que fazer?

Construir um hábito de leitura passa também por superar dificuldades. Desistir de um livro em um momento em quem você está descobrindo esse prazer pode fazer com que essa atividade se transforme em uma eterna zona de conforto. Uma dica é resistir. Busque mais informações sobre o livro, quem sabe uma resenha te dê alguma informação para aliviar um pouco as dificuldades que vem enfrentando.

Se mesmo assim não rolar, deixe o livro descansando. Faça algumas anotações, para você lembrar da trama, dos personagens, e parta para outro livro, um que dê conforto. Leia, termine e volte àquele que estava travando sua leitura. Ler, às vezes, é um desafio — e esse desafio deve se transformar em um hábito. Somente com essa postura os obstáculos vão se tornar um estímulo.

E você? Tem o hábito de ler? Tem alguma dica ou dúvida sobre esse assunto? Compartilhe as suas ideias com a gente nos comentários!

 

Deixar um comentário