Mercado de trabalho

Descubra o que faz um engenheiro eletricista na prática

descubra-o-que-faz-um-engenheiro-eletricista-na-pratica.jpeg
Escrito por Ânima Educação

Você sabe como atua um engenheiro eletricista? Dentro da área das engenharias, essa é uma das que mais têm se destacado nos últimos tempos. O profissional sério e bem qualificado é responsável por garantir a segurança e o bom funcionamento da rede e das tecnologias elétricas dos mais variados lugares.

Ficou curioso para saber mais? Se você já pensou em ser um engenheiro eletricista, mas ainda tem algumas dúvidas, descubra agora como são a prática do profissional e o processo de formação e quais as oportunidades de atuação no mercado de trabalho. Veja!

Quais as funções de um engenheiro eletricista?

Para que tenha energia elétrica em casas, estabelecimentos e indústrias, o trabalho do engenheiro eletricista é essencial. É ele quem desenha, projeta e orienta a instalação do circuito elétrico de construções e de indústrias.

A principal função desse profissional é garantir que a energia chegue até seu destino de forma segura. Para isso, o engenheiro é responsável por administrar os sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia.

O profissional também pode atuar na gestão do maquinário, da iluminação e na medição dos instrumentos eletroeletrônicos.

Também faz parte das suas funções criar e desenvolver equipamentos e circuitos da indústria eletrônica.

Além dessas funções, o engenheiro eletricista também pode executar projetos que avaliem a eficiência energética em determinado contexto e desenvolver pesquisas voltadas para a produção de energia renovável.

Como é o curso de formação?

Para ser um engenheiro eletricista, é obrigatório ter um diploma de curso superior em Engenharia Elétrica de instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e conseguir a autorização do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea).

O curso geralmente dura 5 anos e a estrutura curricular é predominantemente composta por disciplinas de Matemática, Física, Química e Computação.

O aluno também vai aprender sobre eletrônica, telecomunicações e sistemas de energias elétrica, por exemplo. Disciplinas de administração também podem compor a grade curricular.

A formação prática também faz parte do processo de aprendizagem do aluno. Em laboratórios e estágios, o aluno aprende a trabalhar diretamente com materiais, objetos e procedimentos elétricos.

Por falar em prática, o estágio supervisionado é obrigatório para que o aluno termine o curso, assim como a apresentação de um trabalho de conclusão (TCC).

Como está o mercado de trabalho?

O mercado de trabalho para engenheiros eletricistas no Brasil é promissor, uma vez que está prevista pelo Governo Federal uma ampliação da capacidade de geração de energia no país. Isso envolve não só energia elétrica, mas também de biocombustíveis, petróleo e gás natural.

Dessa forma, o setor público se torna um dos principais contratantes desses profissionais. As grandes obras de infraestrutura ajudam ainda mais a aquecer esse mercado!

Na iniciativa privada, o profissional também encontra oportunidades no ramo das telecomunicações, que nunca param de se transformar e crescer, como no caso da implantação da TV digital. Trabalhar em fábricas, hospitais ou em diferentes estabelecimentos também é uma possibilidade.

A média de salário inicial para os recém-formados é de R$ 3.000,00, chegando a algo em torno de R$ 10.000,00 para os profissionais no auge de suas carreiras.

É importante que, para destacar-se no mercado, o profissional seja curioso e antenado, já que as tecnologias e tendências da área transformam-se com muita agilidade. Além disso, dominar outros idiomas e ter disponibilidade para morar fora são um diferencial. Isso porque as grandes empresas geralmente enviam seus funcionários para se capacitarem ou atuarem em filiais internacionais.

Quais as possibilidades de atuação?

Agora que você já sabe as funções do engenheiro eletricista, como se tornar um e como anda o mercado de trabalho, vamos falar sobre o que seria a prática do profissional.

Como as possibilidades de atuação são variadas, dividiremos por áreas:

Telecomunicações

Atuando na área de telecomunicações, o profissional vai lidar com a manutenção e criação de sistemas de transmissão de dados.

Pode atuar tanto no desenvolvimento de equipamentos que auxiliem na transmissão de informações como na elaboração de sistemas de comunicação cada vez mais eficientes, no caso de aparelhos telefônicos.

Eletroeletrônica

O profissional trabalha com a criação de sistemas ou produtos que aliem a eletricidade e a eletrônica.

Quando é preciso desenvolver um eletrodoméstico, por exemplo, o engenheiro eletricista vai atuar junto aos outros profissionais para a criação do objeto.

Outro exemplo é na criação de placas eletrônicas que garantem o funcionamento de equipamentos, sejam domiciliares ou industriais.

Nessa mesma área, o profissional pode trabalhar com o planejamento e execução de complexos sistemas para garantir o pleno funcionamento de empresas e indústrias, como no desenvolvimento de instrumentos de medição de aparelhos hospitalares.

Construção Civil

Essa é uma das áreas que mais contratam engenheiros eletricistas. Nesse setor, o profissional vai trabalhar principalmente com o planejamento e implementação dos circuitos elétricos das construções.

Pode participar em projetos de construção de casas, prédios, fábricas e até de grandes complexos industriais.

Sua atuação também se estende para a construção de hidrelétricas, parques de energia eólica e outras indústrias de geração de energia.

O profissional participa não só do planejamento, como atua monitorando a implementação dos projetos, em reformas e manutenções.

Fornecimento de energia elétrica

Atuação direta na construção e funcionamento de centros geradores de energia, como em hidrelétricas e usinas eólicas e solares.

A tarefa do engenheiro eletricista é saber dimensionar as turbinas, as formas de armazenamento e distribuição da energia. Seu trabalho é articulado a um conhecimento especializado sobre as características e demandas da região ou indústria que precisa dessa energia.

Automação

O engenheiro participa da elaboração de sistemas automatizados e robotizados para os processos industriais.

O profissional poderá desenvolver desde componentes eletrônicos simples até os mais complexos sistemas de produção de fábrica.

Além da criação, também pode atuar com manutenções e vistorias preventivas em equipamentos automatizados.

Atualmente, é impossível pensar um mundo sem energia elétrica. Para que todos esses aparatos funcionem, seja em casa ou nas grandes indústrias, o trabalho do engenheiro eletricista é fundamental. Como você pode ver, sua atuação vai além de cuidar de um sistema elétrico, mas passa pelo desenvolvimento de novas tecnologias, gestão de circuitos eletrônicos e na geração, produção e circulação de energia elétrica.

E aí, ficou interessado em cursar Engenharia Elétrica? Leia também sobre (sem blog).

 

Deixar um comentário