Vida universitária

6 motivos para continuar a estudar durante as férias

6-motivos-para-continuar-a-estudar-durante-as-ferias.jpeg
Escrito por Ânima Educação

As férias são, sem sombra de dúvida, um dos momentos mais esperados pelos estudantes durante os semestres letivos. Com todas as tarefas e obrigações que vêm no pacote da faculdade, um tempo para descansar é mesmo necessário — afinal, ninguém é de ferro e as energias devem ser respostas.

No entanto, engana-se quem pensa que as férias não foram feitas para estudar. Elas devem funcionar como um descanso da rotina pesada (e, claro, você pode se dedicar mais ao lazer), mas não como uma quebra brusca de sua produtividade.

Quer sair na frente em sua graduação? Então continue nos acompanhando e veja essa lista de 6 motivos para estudar durante as férias!

1. Não sair do ritmo

Dos 12 meses que temos no ano, 9, em média, são gastos com o período letivo. Isso significa que você passa a maioria esmagadora de seu tempo estudando e se dedicando à faculdade. Todo esse ritmo, no entanto, foi construído gradualmente conforme os meses foram se passando, certo?

Portanto, parar de estudar totalmente durante as férias faz com que você saia de sua frequência normal, mude sua rotina. Isso não é algo interessante, principalmente quando você para e pensa na volta às aulas.

Voltar para a faculdade depois de um ou dois meses sem estudar vai fazer com que você tenha muita dificuldade para pegar no tranco novamente e entrar no seu ritmo regular de atividades. E você não quer que isso aconteça, certo?

2. Fazer a diferença

Se você refletir com frieza, vai perceber que, na verdade, é muito fácil entrar na faculdade: o difícil mesmo é sair da instituição de ensino tendo se qualificado bem e da forma correta. Por isso, cada momento deve ser aproveitado e você não pode perder a oportunidade de absorver todo o conhecimento disponível, sempre. Estudar nas férias pode te ajudar — e muito! — com isso.

Alunos regulares costumam largar tudo nos períodos de recesso, esquecendo completamente dos estudos e demais pendências que ficaram por causa da universidade. Se você continua estudando nas férias, mesmo que apenas um pouco a cada dia, está começando a criar um diferencial competitivo entre seus colegas.

Esse diferencial mostra-se importante não apenas na faculdade em si e nas notas, mas também de forma prática, lá na frente, no mercado de trabalho. Seja proativo!

3. Atualizar-se constantemente

Além de todas as qualificações e especializações exigidas diariamente em vagas de emprego por causa da grande competitividade do mercado de trabalho, existem algumas características essenciais para que você se diferencie. Ser uma pessoa atualizada em relação ao mundo e seus acontecimentos de forma geral, ou seja, acompanhar atualidades, é algo essencial.

Você não terá a disciplina de “Atualidades” ofertada em sua faculdade, provavelmente. Esse conhecimento depende de você: da sua proatividade, sede de conhecimento e curiosidade — e as férias são o momento perfeito para colocar isso em prática, afinal, você terá tempo de sobra para se atualizar e correr atrás.

Assine revistas e jornais, caso queira, e acompanhe programas na televisão também. Essas são algumas das formas simples de se inteirar do que está acontecendo no Brasil e no mundo. E não se esqueça de que a internet é sua maior aliada: você pode acompanhar diversos portais diretamente da tela de seu smartphone!

4. Aprender a se organizar melhor

Estudar nas férias é também uma grande oportunidade de crescimento. Vamos te explicar o porquê!

Sem provas, trabalhos e afazeres de forma geral, seus estudos não serão uma obrigação para que você ganhe pontos em suas matérias. A decisão de estudar nas férias parte única e exclusivamente de você: não há nenhum prazo, pressão ou alguém te obrigando, certo?

Essa espontaneidade faz com que você desenvolva um senso de responsabilidade e organização maior. Com o dia todo livre, você mesmo terá que planejar seus horários, o tempo destinado ao lazer, aos exercícios das matérias, etc. Vocês estará estudando por si mesmo e por saber o quão importante isso é para sua vida acadêmica e carreira. Esse é um amadurecimento enorme!

5. Desenvolver sua curiosidade

Continuar estudando durante as férias depende muito de sua proatividade. Assim como falamos no tópico anterior, ninguém estará “te obrigando” a fazer isso e você não terá nenhum trabalho ou prova. Muitos, exatamente por essa razão, ficam com uma dúvida: “de onde vou tirar material para estudar nas férias, afinal?”. Isso é fácil!

Além dos seus próprios livros didáticos (e da opção de refazer os exercícios), você pode procurar sites e aplicativos sobre a temática de suas disciplinas, por exemplo. Essa é uma excelente atividade para desenvolver sua curiosidade e te levar a sempre procurar por mais conhecimento — quase nunca apenas os livros da graduação serão suficientes e, ao estudar nas férias, você perceberá isso.

6. Aprofundar-se em temáticas de seu interesse

Você já deve ter percebido que o pensamento de que entrar na faculdade significa só estudar aquilo que realmente gosta não é verdade, certo? Mesmo girando em torno de uma área específica, uma graduação ainda é muito abrangente: existem inúmeras especializações que podem ser realizadas dentro de cada assunto.

Durante seu período letivo, você precisará estudar todas as matérias, afinal, é necessário que você realmente entenda sobre todas elas e possa passar. É bem possível, no entanto, que você se interesse especialmente por uma disciplina. Talvez seu tempo durante o semestre seja corrido e você não consiga dar a devida atenção a ela, mas não se preocupe: as férias são ótimas para isso!

Procure se aprofundar bastante nas temáticas de seu interesse. Isso pode ser essencial para seu futuro, pois assim você conseguirá ter mais certeza do que deseja fazer quando concluir sua graduação.

Viu só como estudar durante as férias pode ser um grande benefício para sua vida acadêmica e profissional? Nós temos certeza de que esses motivos são suficientes para que você comece a pensar nisso — e esses são apenas alguns deles!

Se você curtiu esse conteúdo, não deixe de ler um pouco mais sobre o mercado de trabalho: afinal, o que deve ser priorizado, o salário ou a satisfação profissional?

Deixar um comentário