Mercado de trabalho

3 previsões para o futuro do mercado de Engenharia

3-previsoes-para-o-futuro-do-mercado-de-engenharia.jpeg
Escrito por carlos.camara

A crise econômica que o Brasil está enfrentando pode paralisar muita gente na hora de fazer a sua escolha profissional. Mas é preciso entender que, mesmo em um cenário de incerteza como o atual, é possível fazer algumas previsões. Basta analisar o contexto social, econômico e tecnológico e associá-lo a tendências do mercado.

Por exemplo: é provável que a Engenharia continue a ser uma das profissões mais valorizadas do país. E são vários os motivos que levam a essa conclusão. Que descobrir quais? No post de hoje, mosraremos por que o mercado de Engenharia tem tudo para continuar promissor.

Valorização da qualificação profissional

Para começar a análise, vamos verificar a relação entre a oferta e a demanda de profissionais no mercado de Engenharia. O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) realizou um estudo que prevê carência de profissionais para 2020.

Segundo essa projeção, a escassez de engenheiros não será pela falta de profissionais formados, mas pela falta de pessoas qualificadas. Isso quer dizer que, em números, haverá engenheiros suficientes para suprir a demanda — no entanto, esse mercado requer mais profissionais de qualidade.

Como o investimento na formação para a Engenharia foi tímido nas últimas décadas, ainda é baixo o número de pessoas com experiência e capacitação suficientes para assumir cargos altos, como os de gerência. Por isso, atualmente, as grandes organizações carecem de líderes para conduzir seus projetos de Engenharia.

Percebe a oportunidade? Enquanto o mercado está cheio de graduados, são poucos aqueles que se destacam para assumir posições no topo da hierarquia empresarial. Essa projeção anuncia que agora é hora dos jovens investirem em formação e experiência profissional para que sejam requisitados nos próximos anos.

Outro fator que contribui para esse gargalo é que muitos engenheiros acabam se desviando de sua área de formação original e passam a atuar em outros setores. O Ipea mostra que menos da metade (41%) dos engenheiros exercem suas ocupações típicas.

Se um lado dessa moeda revela desafios no mercado da Engenharia, o outro lado nos mostra como esse profissional é versátil. Um diploma de engenheiro é uma janela para inúmeras possibilidades de atuação.

Além disso, para evitar o desvio na carreira, as empresas precisam investir no profissional. Para reter talentos, é preciso ofertar salários atrativos e capacitação profissional. Nada mal trabalhar em uma empresa que te paga bem e investe na sua carreira, não é mesmo?

Demanda por profissionais com bom relacionamento

Cada vez mais, as empresas buscam por profissionais completos. Isso inclui não só conhecimentos técnicos, mas principalmente habilidades de relacionamento. O engenheiro do futuro precisa saber se comunicar e trabalhar em equipe.

Antigamente, as corporações investiam em treinamentos para esse fim. Contudo, a cultura da eficiência eliminou essa prática nas empresas. Hoje, elas esperam que os profissionais já integrem as equipes com essas habilidades afiadas.

As organizações não estão dispostas a gastar dinheiro para ensinar o profissional a se relacionar com seus colegas e clientes. Nas corporações, o foco da capacitação profissional é mais técnico do que relacional.

Aquecimento de segmentos do mercado de Engenharia

Se você se interessa pela área e quer fazer parte do time que promove o desenvolvimento do país, essa profissão pode ser ideal. Conheça algumas das possibilidades:

Engenharia Civil

Nos últimos anos, o setor de construção civil vivenciou um pico de aquecimento no país. O mercado imobiliário colheu os frutos da intensificação da economia impulsionada pelo aumento do consumo de bens e serviços. Com maior poder de compra, muita gente foi em busca do sonho da casa própria e, consequentemente, a construção de prédios disparou.

O carro também é um indicativo de investimento em qualidade de vida que as pessoas tendem a fazer assim que melhoram suas condições financeiras. A consequência? Piora no trânsito dos grandes centros urbanos. A solução? Obras de alargamento de pistas, novas rotas, viadutos, passarelas e construção de mais opções de transporte público.

Essas são apenas algumas das situações que acolhem os engenheiros civis. Os profissionais ainda podem atuar no setor industrial, de produção de energia, mineração, agronegócio, entre outros.

Engenharia da Computação

Não é novidade que a tecnologia se tornou um aspecto primordial em nossa vida. Jogos e aplicativos, de fato, nos entretêm e facilitam a rotina — no entanto, a tecnologia é muito mais do que isso. Ela é necessária nos processos de produção, transporte e distribuição de bens e serviços.

A tendência é que as empresas invistam em máquinas e programas cada vez mais avançados. Por isso, as projeções para esse profissional são muito positivas.

Engenharia de Controle e Automação

Seguindo a linha de raciocínio que considera eficiência e inserção tecnológica nos processos de produção do futuro, pode-se afirmar que esse profissional será um dos mais visados nos próximos anos. Ele tem a função de automatizar a cadeia produtiva, tornando-a mais ágil e menos susceptível a erros. Os resultados são o aumento da produção e a qualidade dos produtos gerados.

Engenharia de Produção

O engenheiro de produção administra os recursos humanos, financeiros e materiais com foco na eficiência da produção. Ele é o cabeça da logística do negócio, setor que ainda carece de evolução no país. O profissional cria estratégias e desenvolve projetos para otimizar os processos e reduzir os custos de produção de bens e serviços. O engenheiro também pode atuar no controle de qualidade.

Considerando o movimento das empresas de buscar a máxima eficiência, produzindo com qualidade e com menos recursos, podemos considerar que o engenheiro de produção qualificado será muito disputado no mercado das próximas décadas.

Engenharia Química

A área apresenta diversas possibilidades: indústria farmacêutica, alimentícia, de celulose, petroleira e por aí vai. Mas a aposta mesmo deve ficar nos profissionais que desenvolvem soluções para reduzir impactos ambientais.

A cobrança por atitudes empresariais responsáveis tem ficado mais intensa nos últimos anos, e a previsão é que o conceito de sustentabilidade seja cada vez mais aplicado nos negócios. Além de cumprir a legislação ambiental, a organização que investe no meio ambiente agrega valor à sua imagem. É uma tarefa e tanto para o engenheiro!

Essas são apenas algumas das alternativas que a Engenharia oferece. A profissão do futuro tem trabalho para todos os gostos e perfis profissionais. Com certeza, o cenário será diferente nas próximas décadas, e o profissional de Engenharia será requisitado em funções que sequer conseguimos imaginar agora.

Ficou curioso o mercado de Engenharia, mas ainda não decidiu qual carreira seguir? Baixe o e-book “Guia das profissões 2017: saiba tudo sobre os profissionais que estarão em alta no mercado e conheça as possibilidades”. Veja, também, as oportunidades oferecidas pelo Centro Universitário Una!

Deixar um comentário